Too Good At Goodbyes (Sam Smith) — Crítica

O primeiro single do novo álbum do britânico, Sam Smith, é mais uma balada de coração partido. “But I have seen this all before”, Smith canta, e é essa impressão que se pode ter do novo material. É um Déjà vu do antecessor “In The Lonely Hour”

O cantor utiliza os mesmo elementos de suas outras músicas em “Too Good At Goodbyes”. A mesma temática, o coral entoando o refrão, os truques com a voz, a tristeza nos vocais. Esse single poderia ser facilmente uma faixa descartada do último álbum.

Apesar da distância de dois anos, Sam Smith parece estar vivendo as mesmas experiências do passado, ou ao menos as revivendo em músicas tristes e de fácil identificação.

Contudo, Smith é um cantor talentoso e promissor e mesmo com a decepção do primeiro single ainda é possível guardar expectativas para o álbum completo.

Nota: 4.5/10

Jornalista que ama música, sentimentos e cultura pop.

Jornalista que ama música, sentimentos e cultura pop.