Tell me you love me (Demi Lovato) — Crítica

Demi Lovato já transitou por diversos gêneros musicais em seus trabalhos anteriores. A ânsia de encontrar uma identidade acabou resultando em discos confusos como o Unbroken (2011) que é uma mistura de pop, pop rock, R&B e eletrônica. Apesar do sucesso indiscutível, a ex estrela da Disney ainda tinha o desafio de produzir um material coeso.

“Tell me you love me” finalmente fez justiça ao talento da cantora. É um álbum bem amarrado, com canções fortes e letras que ficam na cabeça. De longe é o trabalho de estúdio mais maduro da ex Disney.

Demi mescla vocais sensuais, ás vezes quase sussurrados, com notas altas e vibrantes, sua marca registrada. Sexy dirty love, Ruin the friendship, Concentrate e Daddy issues trazem um lado mais sexy ao álbum, cheio de insinuações, confissões e desejos.

Por outro lado, a faixa título Tell me you love me, You don’t do this for me anymore e Lonely se encarregam da parte sentimental e mais profunda. São letras que falam de amor, superação e solidão e compõe o ponto alto do álbum: o lirismo de uma jovem adulta.

Nota: 8.5/10

Jornalista que ama música, sentimentos e cultura pop.

Jornalista que ama música, sentimentos e cultura pop.